Com a iminente crise trazida pela pandemia do novo coronavírus, milhares de motoristas e entregadores de aplicativo estão com o futuro incerto, sem qualquer garantia de renda. Diante disso, o vereador Police Neto abriu diálogo com as operadoras e com a Prefeitura para buscar soluções que pudessem mitigar os danos econômicos, tanto para os trabalhadores como para as plataformas. Foi depois da tratativa entre o parlamentar, o setor e o poder público que as empresas anunciaram algumas medidas de apoio aos parceiros a fim de reduzir os impactos da doença no bolso dos trabalhadores e assegurar a continuidade de seus serviços.

Nesta terça-feira (24), a Uber divulgou um programa nacional que oferecerá assistência financeira para todos os motoristas infectados com a Covid-19 ou que forem submetidos a quarentena. O valor que será repassado aos condutores será proporcional aos rendimentos referentes aos seis últimos meses de trabalho, contado a partir de 6 de março de 2020. O parceiro que estiver atuando na plataforma há menos de seis meses terá a média baseada nos ganhos desde a primeira viagem ou entrega, até o dia 6 de março deste ano. Só terão direito à assistência os motoristas que tiverem feito pelo menos uma corrida ou entrega nos últimos 30 dias.

A empresa também informou que vai garantir assistência médica sem carência e desconto em medicamentos em farmácias conveniadas com o programa. As medidas divulgadas valem até 6 de abril deste ano.

99 doará 10 milhões de dólares

A operadora de transporte individual e de entregas 99 também anunciou providências que beneficiam motoristas e entregadores. A empresa vai oferecer ajuda financeira em forma de doação aos condutores diagnosticados com Covid-19 ou colocados em quarentena.

Para ser elegível à ajuda financeira da 99, o condutor ou entregador precisa ter feito pelo menos uma corrida ou entrega nos últimos 30 dias da solicitação. Para os casos de diagnóstico confirmado, o valor a ser pago é o equivalente a 28 dias de corridas, calculado a partir da média dos ganhos diários entre setembro de 2019 e fevereiro de 2020. Já nos casos de quarentena solicitada por autoridade médica, será pago o mesmo que 14 dias de corridas, com valor baseado pela média dos ganhos diários do entregador no período de dezembro de 2019 a fevereiro de 2020. O valor mínimo será de R$ 300.

Além disso, a 99 doará R$ 4 milhões de reais em corridas pela plataforma para os governos municipais brasileiros. A ajuda servirá exclusivamente para deslocar profissionais de saúde que precisam continuar trabalhando durante a crise do coronavírus.

Postagens Recomendadas

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar