Skip to content

Chamada Cívica fecha inscrições com 90 projetos de melhoria para a cidade e inicia nova etapa da disputa neste sábado (11)

A Chamada Cívica 2020 recebeu quase o triplo de projetos registrados na primeira edição, realizada em 2019. Até 30/6, prazo final, foram apresentadas 90 propostas em quatro categorias: Praças e Áreas Verdes, Ruas, Vielas e Escadões, Equipamentos de Saúde e Educacionais e Fomento à Cultura, Esporte e Empreendedorismo. Parceria entre o vereador Police Neto e a plataforma Cidades.co, a Chamada vai selecionar os projetos de maior impacto para a cidade e executá-los com emendas do parlamentar que somam R$ 1 milhão. Criada em 2019 para democratizar o acesso ao dinheiro público e incentivar a mobilização das comunidades, a Chamada Cívica foi o primeiro edital de emendas parlamentares do país.

“Fizemos ajustes por causa da pandemia e temíamos que a participação caísse muito em função do isolamento social, mas o resultado foi um sucesso!”, disse Police Neto. “Recebemos ideias de todas as regiões da cidade, cobrindo os bairros ligados a 25 subprefeituras.” Após análise para verificar se estão de acordo com o regulamento, os projetos classificados serão submetidos a dois comitês julgadores independentes do mandato: um exclusivo para fomento e outro voltado para as demais categorias. “Todos os critérios de avaliação estão descritos desde o início da disputa na plataforma do projeto (https://chamadacivica2020.cidades.co), e cada autor, seja uma pessoa só ou um grupo, terá a oportunidade de fazer a defesa oral das propostas nos dias 11/12 e 18/19 de julho”, afirmou o urbanista Marcelo Rebelo, fundador e CEO do Cidades.co.

Os dois comitês julgadores são formados por três pessoas. Gestora de projetos culturais e produtora de conteúdo, ex-coordenadora de ação cultural do CEU Parque Anhanguera, Adriana Franco compõe o comitê de fomento ao lado de Manuela Colombo, coordenadora da Unidade de Políticas Públicas no Sebrae-SP e Mestre em Gestão e Políticas Públicas pela FGV-SP (2020), e Rodolfo Serine, educador físico e advogado, além de vice-presidente do Instituto Vida Ideal (OSC), entidade que fomenta o esporte e a cultura como ferramentas de inclusão social.
O júri para Praças e Áreas Verdes é composto pela engenheira e professora Dalva Marques, pelo arquiteto, urbanista e professor Marcos Boldarini, e por Mauro Calliari, doutor em urbanismo pela FAU/USP e autor do livro Espaço Público e Urbanidade em São Paulo.

O resultado final será revelado em 24 de julho, para execução das propostas vitoriosas no segundo semestre.

Dentre os 90 projetos, 43 são de fomento (18 para cultura, 16 para empreendedorismo e 9 para esporte), 24 de praças e áreas verdes, 13 de equipamentos (6 para saúde e 7 para educação) e 10 de ruas, vielas e escadões. Os bairros administrados pela subprefeitura de Vila Mariana são os que mais receberam inscrições (10), seguidos de Santo Amaro e Casa Verde (9) e Pinheiros (8). Para fomento, a verba disponível é de R$ 400 mil, com valor mínimo da proposta em 30 mil e máximo de R$ 100 mil. Praças e Áreas Verdes também terão R$ 400 mil, com valor mínimo de R$ 50 mil e máximo de R$ 100 mil. As demais categorias (Ruas e Equipamentos) seguem o mesmo critério, com R$ 100 mil disponíveis para cada. Somadas, todas as propostas da Chamada Cívica custariam R$ 7,5 milhões.

Acesse https://chamadacivica2020.cidades.co/transparencia para conferir todos os números e sua distribuição pela cidade.

Compartilhe nas redes sociais

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Rally inovador arrecada doações para Cruz Vermelha-SP

Prefeitura rica, cidadão pobre

Maior evento do setor, Summit Mobilidade Urbana 2020 tem participação de Police Neto