Skip to content

Hack in Sampa amplia premiação

Programado para terminar neste domingo (20), a quarta edição do Hack in Sampa 2020 reuniu 65 competidores e competidoras dedicados a buscar soluções tecnológicas para combater a falta de moradia na capital paulista. Na abertura, nesta sexta (18), dezenas de espectadores acompanharam a apresentação de um retrato do problema na capital paulista. Com cerca de 470 mil famílias sem ter onde morar ou em habitações precárias, se torna imprescindível e urgente discutir a função social que a propriedade precisa exercer para garantir dignidade e bem-estar, e é este o desafio que os participantes terão pela frente. “Numa situação pandêmica como a que São Paulo e o mundo vivem, esses problemas se tornam ainda mais escancarados, e foi pensando nisso que o Hack In Sampa de 2020 buscará junto com a população, soluções tecnológicas para esse problema”, afirma o vereador Pólice Neto.

Live de abertura. Para assistir, clique aqui.

Neste ano, o Hack in Sampa vai premiar o primeiro lugar com R$ 10 mil e o segundo com R$ 1 mil. Os três primeiros colocados, porém, ganharão ainda cinco cursos Your Way da Impacta. O iFood também disponibilizará um voucher no valor de R$ 40 para todos os participantes e sorteará outros R$ 500 durante o evento.

Para dar o pontapé inicial ao evento, já no início da semana aconteceu o 1º Warm Up Talk focado em esclarecer dúvidas e apresentar o que é a Função Social da Propriedade, lei de autoria do vereador Pólice Neto essencial para a compreensão da problemática em torno da habitação. O responsável por levar o assunto aos participantes foi o assessor parlamentar Alexandre Gomes, co-autor do livro “Lições da Cidade”. “O planejamento da cidade precisa ser ecologicamente correto, economicamente viável, socialmente justo e culturalmente diverso. É necessário entendê-la como um todo para conseguir propor inovações que realmente atinjam os objetivos esperados”, disse Gomes na palestra.

Na mesma direção, ele elucidou alguns pontos sobre como funciona o processo de aplicação da Lei de Função Social da Propriedade. “Do momento de notificação do imóvel até a aplicação da alíquota progressiva do IPTU, a intenção é causar uma pressão nos proprietários do imóvel, impedindo que este fique ocioso”, explicou. “Desde a sanção da lei, em 2010, mais de 1.500 imóveis já foram notificados, o que equivale a cerca de 6 milhões de metros quadrados, dos quais quase 3 milhões já estão em fases mais avançadas de aplicação da legislação; seja com o IPTU progressivo ou mesmo com outros projetos em andamento”, afirmou, mostrando a importância dessa legislação para a mudança do cenário de déficit de moradia.

Programação
Com as restrições impostas pela pandemia de Covid-19, o evento será on-line e transmitido por lives nas páginas do Hack in Sampa (facebook.com/hackinsampa) e do vereador Pólice Neto (facebook.com/josepoliceneto). No domingo (20), último dia de evento, serão realizadas duas lives, uma às 10h e outra às 20h, encerrando a quarta edição do Hack in Sampa. Confira a programação completa abaixo.

Compartilhe nas redes sociais

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Fique de olho: IPTU congelado

Com 63 emendas aprovadas no Orçamento 2021, mandato bate recorde na Câmara

Uma outra política é possível