Nesta semana, o mandato do vereador Police Neto realizou uma nova etapa da Missão Proteção, entregando máscaras para profissionais que se expõem diariamente ao risco de contágio do novo coronavírus. O parlamentar foi até à Equipe de Perícias Criminalísticas da Polícia Científica, na Casa Verde, onde entregou o 13º lote de máscaras de acetato doadas por Marcelo Lucas, proprietário da empresa Ira Paintball, e por Sérgio Agune, perito criminal parceiro de longa data do mandato.

A ação entregou 20 máscaras de acetato, que são mais resistentes, duráveis e protegem o rosto por completo, mas ainda há outros 130 equipamentos que serão doados em breve. “10 irão para uma associação de moradores da Zona Norte e o restante para profissionais que trabalham em unidades de saúde e que precisam de maior proteção”, explica Police.

O vereador ainda articulou uma grande doação de refeições feita pela Uber Eats durante o decorrer da semana. O mandato, que mantém diálogo com a empresa por conta das bandeiras relacionadas a motoristas de aplicativo, conseguiu direcionar 6 mil refeições para o Hospital São Paulo, Unifesp e Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM). “Devido à exposição diária, enfermeiros, faxineiros, pesquisadores e assistentes, não podem deixar o local de trabalho para comer. A doação traz a eles então a segurança de poder se alimentar sem risco de contagiar outras pessoas”, diz Police.

De olho nas entregas e no direito de trabalhar
Na quarta-feira (10) da semana passada, o Diário Oficial do Estado de São Paulo publicou uma portaria da Vigilância Sanitária que obriga as empresas de entrega por aplicativo a fornecerem gratuitamente máscaras, kits de higienização e orientações sobre a covid-19 a todos os trabalhadores parceiros.

Com a medida, o vereador Police Neto iniciou uma campanha nas redes sociais para esclarecer a motociclistas e ciclistas sobre seus direitos. “Temos de ficar em cima das empresas que contratam esses trabalhadores, pois elas têm a obrigação de fornecer os equipamentos de proteção a todos. A empresa que não o fizer estará descumprindo a lei e colocando a vida dos parceiros em risco”, publicou no Facebook.

Além da campanha que leva informação sobre os direitos de motoqueiros e ciclistas, Police também tem atuado para barrar um projeto de lei que pode tirar o sustento de cerca de 40 mil motoentregadores. Nesta semana, o parlamentar denunciou a burocracia e a reserva de mercado que o PL 130/2019 pode instituir em São Paulo. Se virar lei, somente os trabalhadores que tiverem placa vermelha e licença especial de motofrete poderão prestar serviços de entrega. Com a pressão do parlamentar, o projeto de lei, que seria colocado em votação na sessão desta quarta-feira (17), acabou sendo retirado da pauta. “O assunto ainda não morreu. Os motocas precisam se unir e construir unidade para derrubar de vez esse projeto perverso”, afirma.

Saiba mais sobre a publicação do Diário Oficial aqui.
Saiba mais sobre o PL 130/2019 aqui.

Postagens Recomendadas

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar