Prezado vereador Police Neto,

A Uber agradece o convite e lamenta não poder participar da audiência pública que será realizada na data de hoje. 

Na audiência de 24 de setembro, na ALESP, assumimos o compromisso de buscar soluções para as problemáticas apresentadas pelos motoristas de aplicativos. No que diz respeito aos pontos levantados por eles, gostaríamos de ressaltar que: 

No dia 28 de outubro, foi anunciada a expansão do recurso que permite que os motoristas optem por não receber chamadas de viagens com pagamento em dinheiro. A ferramenta está em teste em seis cidades do estado de São Paulo e será ampliada para novas cidades em breve. 

Antes disso, no dia 24 de outubro, lançamos o “Elas na Direção”, projeto que inclui uma ferramenta pioneira que permite que motoristas mulheres optem por fazer viagens apenas com passageiras mulheres. 

Ainda, a política de taxa de cancelamento cobrada do usuário foi alterada de forma a incentivar o embarque mais rápido para reduzir o tempo de espera do motorista. Agora, a cobrança do usuário passa a considerar a distância percorrida e o tempo desde quando o motorista começou a se deslocar em direção ao usuário até o momento do cancelamento. A taxa de cancelamento passa a ser cobrada do passageiro a partir de 3 minutos, e não 5, após a chegada do motorista ao local de embarque. 

Desde março deste ano, temos o Ponto de Encontro em Heliópolis, iniciativa que amplia o acesso das pessoas da comunidade e melhora a experiência dos motoristas.

A apresentação do destino final do passageiro, antes do aceite do motorista, já tinha sido implementado na cidade de São Paulo. Agora, no entanto, estamos nos debruçando para melhorar a ferramenta a partir de sugestões dos motoristas tendo em vista a reivindicação de que as localidades apareçam de forma mais precisa. 

Em relação à identificação do usuário, a parceria com o SERASA para validação de dados dos usuários que pagam em dinheiro está ativa desde julho. O desenvolvimento de outros mecanismos de identificação está sendo priorizado, assim como a busca de soluções efetivas e escaláveis de registro de viagens, como a instalação de câmeras. 

Estamos à disposição das autoridades para projetos que possibilitem a emissão de alertas, como o botão de emergência, que nos Estados Unidos e no México já fornece a localização do motorista ou passageiro para a polícia de maneira automática. Depois da audiência na ALESP, tratativas foram iniciadas com a Polícia Civil e com Secretaria de Segurança Urbana da Prefeitura de São Paulo.

Seguimos à disposição para qualquer esclarecimento.