Skip to content

Police se reúne com CMTT pela retirada de adesivos de carros de aplicativos

O vereador Police Neto se reuniu, na manhã desta quinta-feira (26/9), com o Conselho Municipal de Transporte e Trânsito para viabilizar a retirada dos adesivos que identificam os carros de transporte individual por aplicativos.

Exigência da categoria, a dispensa dos adesivos é encarada pelos trabalhadores como uma medida essencial para a diminuição do risco de assaltos e outros crimes durante o expediente. “Nos últimos 10 dias foram 3 assassinatos, mais de 200 assaltos e 8 espancamentos. Está claro que a identificação dos carros está gerando uma escalada de violência em algumas zonas, principalmente nas bordas da cidade”, afirma.

A reunião com o CMTT é a primeira medida adotada por Police para colocar em prática aquilo que cabe ao legislativo e que foi acordado durante audiência pública realizada na última terça (24/3), na Assembleia Legislativa de São Paulo, que reuniu centenas de motoristas, associações e representantes das operadoras Uber, 99, Lady Driver, Garupa e City. “Quando vidas estão em jogo não podemos perder tempo. Por isso já estamos trabalhando para tirar do papel as reivindicações que estão ao nosso alcance”, diz.

“Não faz sentido deixarmos mais de 150 mil motoristas no risco porque queremos ter um adesivo nos carros. A questão da vida é mais importante que a pressão política ou que a pressão por fiscalização, que não se mostra eficiente”, completa. O próximo passo, de acordo com o vereador, é levar a pauta dos adesivos ao Secretário de Mobilidade e Transportes, Edson Caram.

Veja as 13 reivindicações:

1 – Permissão de Comunicado de Roubo pelo motorista na internet para complementação posterior na delegacia responsável

2 – Reconhecimento Facial do passageiro

3 – Foto de Cadastro nítida

4 – Botão de Emergência

5 – Câmera a bordo

6 – Remoção dos adesivos

7 – Acompanhamento maior dos casos já ocorridos

8 – Delegacia Especializada em crimes contra trabalhadores de app

9 – Destino exato do Passageiro

10 – Anulação da cláusula do contrato que permite plataformas punir motoristas por cancelamentos

11 – Pontos de embarque nas comunidades

12 – Conscientização dos aplicativos para os passageiros terem o hábito de embarque imediato (principalmente à noite)

13- Que empresas permitam aos motoristas escolherem a forma de pagamento

Compartilhe nas redes sociais

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Boletim Covid-19: última semana de julho indica queda de casos e óbitos

Manter e gerar empregos em home office

Colocado em prática às pressas, teletrabalho já beneficia empresas e funcionários