Após seis meses de espera, foi apresentado nesta sexta (13/12) o novo plano cicloviário da cidade. Segundo o secretário municipal de Mobilidade e Transportes, Edson Caram, a Prefeitura vai construir 173 km de novas ciclovias e reformará outros 310 km de vias existentes, totalizando 676 km de pistas exclusivas para bicicletas na cidade – hoje são 503 km. A implantação do projeto deverá ser concluída até o final de 2020.

Um dos pontos de atenção do plano são 12 km de ciclovias que serão remanejadas para melhorar a conexão com outros meios de transporte. “Os critérios para mudança dessas 25 ciclovias são não haver integração, ter baixa utilização ou uso indevido, comércio ilegal e não conexão com a malha existente”, disse Caram, prometendo que nenhum metro de ciclovia será perdido.

De acordo com o plano, serão implantados cerca de mil paraciclos espalhados pela capital. “Todas as unidades básicas de saúde, parques, museus, subprefeituras, teatros e outros equipamentos da cidade terão locais para estacionamento, até mesmo para incentivar a população a utilizar cada vez mais a bicicleta”, afirmou o secretário.

Para tirar o projeto do papel, a Prefeitura vai gastar R$ 325 milhões, com custo médio de R$ 140 mil por quilômetro. Também serão aplicados R$ 250 milhões para o recapeamento das vias onde estão ou estarão as futuras ciclovias.

Diferentemente do modelo anterior, as ciclovias terão tachões inseridos a cada metro e a tinta será antiderrapante. A ideia é conectar as ciclovias a estações e corredores de ônibus, metrô e trem. Segundo Caram, 73% de toda a malha será ligada ao transporte público.

Novas ciclovias e vias extintas
Duas ciclovias serão extintas, ambas na Zona Leste. A via localizada na avenida Bento Guelfi, na região de São Mateus, e a da rua Professor Gustavo Pires de Andrade, na Vila Prudente, serão suprimidas do mapa cicloviário, mas serão feitas novas conexões para atender a frota de bicicletas dessas áreas.

Com relação a novas ciclovias, a Prefeitura anunciou que as avenidas Henrique Schaumann e Rebouças serão ligadas à malha cicloviária das avenidas Sumaré, Paulista, Faria Lima e Berrini. Já a ciclovia da Radial Leste terá novos 5,7 quilômetros adicionados, que levarão até o Parque Dom Pedro II.

Postagens Recomendadas

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar