Skip to content

Scoo assume operação de bicicletários das linhas 4-Amarela e 5-Lilás do Metrô

A CCR, grupo que opera as linhas 4-Amarela, 5-Lilás e 15-Prata do metrô paulistano, e a Scoo, empresa de serviço de compartilhamento de patinetes e bicicletas elétricas, firmaram uma parceria que deve beneficiar milhares de usuários todos os dias em São Paulo.

É que a Linha 4-Amarela disponibilizará, a partir de dezembro, locais para o sharing de patinetes e bicicletas da Scoo em todas as estações em que opera. A parceria, inédita no mundo, oferecerá aos milhões de passageiros paulistanos a possibilidade da intermodalidade de viagens. “Estamos liderando o primeiro case global de integração. O que existe hoje é uma sugestão de uso dos modais, mas nós operaremos dentro das estações, com agentes treinados”, argumenta o CEO da Scoo, Denis Lopardo. “Para a SCOO, esse é um momento que marca o começo de uma nova história, de uma nova trajetória. Projetos inovadores e desafios é o que nos move e nos faz acreditar cada dia mais no poder transformador da mobilidade”, continua.

Para começar a tocar o projeto, a Scoo passou a operar, desde o dia 15 de novembro, os 13 bicicletários das linhas 4-Amarela e também 5-Lilás. “Além de manter o que já é oferecido, vamos garantir outros serviços aos usuários, como manutenção e locker”, adianta. Já em dezembro, quando a empresa passar a operar com sistema próprio, upgrades de serviços também serão oferecidos aos usuários”, diz.

De acordo com Lopardo, a integração é importante para quebrar um paradigma de como se deslocar na cidade de São Paulo. “Esse novo modelo de intermodalidade vai permitir que o usuário de transporte em massa possa escolher como fazer sua last mile (última milha, em português), se com patinete ou bicicleta. Vamos abraçar o usuário de uma maneira mais abrangente e completa, podendo, inclusive, reservar o modal que a pessoa precisa, garantindo o trajeto total da viagem”, completa Denis.

Para o vereador Police, que foi um dos mais importantes articuladores a viabilizar a operação de todas as empresas de micromobilidade na cidade de São Paulo, incluindo a Scoo – a primeira a operar no Brasil -, a iniciativa representa um grande avanço porque responde a uma questão estratégica na mobilidade. “Esta parceria permitirá ao usuário se deslocar porta-a-porta, que é uma das grandes necessidades para o transporte interligado em São Paulo”, afirma.

Até o primeiro trimestre do ano que vem, o compartilhamento de patinetes e bicicletas com o aplicativo da Scoo já estará em operação na linha 5-Lilás, e até o final do primeiro semestre de 2020, a linha 15-Prata. Agora, a expectativa é que não só outras linhas do metrô, mas estações de ônibus e trem também possam oferecer a intermodalidade para o deslocamento das pessoas de forma a expandir o conceito da mobilidade ativa na cidade.

Compartilhe nas redes sociais

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Vereadores rejeitam proposta de Pólice que põe fim aos supersalários

Feiras de Economia Criativa se unem, apresentam protocolo com apoio de Police Neto e serão liberadas na Fase Verde

Pensar e sonhar: propostas para o próximo mandato