Mandato cobra reparos e ponte do Jaguaré acaba interditada

Quase um ano depois da última interdição e a ponte do Jaguaré, na Zona Oeste, já está parada para reforma de novo. A Prefeitura começou uma nova obra emergencial nesta quinta-feira (3/9) depois que o mandato do vereador Police Neto cobrou e avisou, no dia 24 de agosto, sobre as condições do equipamento por meio de ofício enviado à secretaria de infraestrutura urbana e obras.

No documento, o vereador alerta para a grande rachadura presente no sentido bairro-centro e para o fato da pista estar cedendo. Hoje (3/9), a secretaria informou que, de fato, os quatro cabos que unem a estrutura precisam de substituição urgente. Para o parlamentar, o problema já deveria estar resolvido. “Foram R$ 8,4 milhões investidos depois que a parte de baixo da ponte pegou fogo. Se já é necessária uma nova reforma, para que serviu então todo esse dinheiro?”, questiona.

Police Neto também salienta que, aparentemente, a Prefeitura sequer acompanhava a situação no local após a realização da obra emergencial. “A interdição veio pouco depois da minha cobrança. Quero acreditar que seja uma coincidência, mas está difícil”, diz.

Os novos reparos na ponte do Jaguaré têm prazo máximo de 180 para serem concluídos e a Prefeitura afirma que não há qualquer risco de ruptura. Para aliviar o tráfego, a CET adaptou uma faixa reversível no sentido Jaguaré, que vai funcionará das 4h às 22h. Fora desse intervalo, os motoristas terão as pontes Cidade Universitária e Eusébio Matoso como alternativas.

A ponte ficou fechada de 21 até 25 de junho do ano passado e depois por mais 25 dias, de meados de agosto até setembro também de 2019. Além disso, houve interdições pontuais para realização de testes. Veja abaixo o ofício encaminhado ao secretário de infraestrutura e obras da cidade.