Chamada Cívica escolhe 10 projetos criados pela sociedade para melhorar SP

A Chamada Cívica 2020 selecionou 10 projetos para execução com recurso de emendas parlamentares do mandato do vereador Police Neto no valor de R$ 1 milhão. Para contemplar todas as 90 propostas inscritas, seriam necessários mais de R$ 7,5 milhões. Foram escolhidos 4 projetos de revitalização de Praças e Áreas Verdes, 1 de Ruas, Vielas e Escadões, 1 de Equipamentos de Saúde e Educação e 4 de Fomento a Cultura, Esporte e Empreendedorismo.

“Dez projetos serão realizados agora, mas ninguém perdeu”, explicou o vereador Police Neto. “Vamos analisar individualmente cada projeto com a assessoria técnica do gabinete para, se for o caso, aprimorar as propostas e trabalhar para que sejam executadas por meio de outras fontes de recurso, como o orçamento das próprias secretarias envolvidas. Não dá para ignorar, por exemplo, o apelo de uma unidade de saúde que precisa consertar suas janelas para melhorar a ventilação interna.” Após análise das propostas e defesa oral acompanhada por duas bancas de jurados especialistas, os projetos escolhidos foram os que obtiveram maior pontuação dentro dos critérios de impacto, viabilidade e engajamento comunitário (para fomento), além de um quarto critério para a sustentabilidade da iniciativa após a intervenção local no caso das demais categorias. Os jurados atribuíram notas de 0 a 5 para cada critério e o resultado final foi obtido com a soma das pontuações, sendo o valor máximo possível de 45 pontos. O anúncio da classificação foi feito em live transmitida nas páginas do Facebook do vereador e do Cidades.co (para assistir à live, clique aqui).

De acordo com Marcelo Rebelo, ceo do Cidades.co, parceiro na organização da Chamada, a ideia agora é formar um “banco de projetos” aberto a toda a sociedade. “O Cidades.co também está à disposição das comunidades para unir esforços e tirar os projetos do papel. Nossa filosofia é de que ninguém é mais habilitado a cuidar do espaço público do que a própria vizinhança. Trabalhamos como facilitadores desse processo”, disse Rebelo. “Prova disso é que dois grupos que participaram da Chamada 2019 e não foram bem classificados, agora conquistaram o recurso.”

Jurado veterano do ano passado, o arquiteto e urbanista Marcos Boldarini aprovou a experiência mais uma vez, mesmo diante da maratona de mais de 10 horas acompanhando as defesas orais no final de semana de 18 e 19 de julho: “Essa é uma iniciativa importante para a cidade de São Paulo, uma vez que os recursos públicos podem ser destinados para aquilo que venha a ser o desejo mais premente da sociedade civil”.

O Projeto Lamparina, do grupo Mirante Cultural, que atua na região de Pirituba/Jaraguá, obteve a melhor classificação geral, com 42 pontos. Saiba mais sobre os jurados, os critérios de escolha e os resultados finais em chamadacivica2020.cidades.co

Conheça todos os projetos selecionados:
Praças
ParCão da Herzog: Vida e Cidadania (Subprefeitura Sé)
Praça Zavuvus (Santo Amaro)
Espaço Arnesto do Brás: Bairro Amigo da Pessoa Idosa (Mooca)
Praça Amigos da Mauro (Santo Amaro)

Ruas
Viela Convida (Lapa)

Equipamentos
Parque Cora Coralina (EMEF Desembargador Amorim Lima)

Fomento
Projeto Lamparina
Viver de Bike Arte
Projeto Catapulta
Boanova de Bicicleta


Chamada Cívica estimula união de moradores para melhorar praça na Zona Sul

Inspirada pela Chamada Cívica – parceria entre o mandato do vereador José Police Neto e a plataforma Praças para selecionar e executar projetos de melhoria em praças definidos pela própria sociedade – a Sociedade Amigos do Bairro do Alto da Boa Vista (Sababv) abraçou de vez a transformação da Praça David Capistrano da Costa, mesmo sem conquistar o dinheiro de emenda parlamentar disputado na Chamada.
A Sababv havia requisitado cerca de R$ 35 mil para adequar a trilha de caminhada na praça, com piso drenante e acessibilidade. Agora está ampliando a consulta aos moradores da região para aprimorar o projeto e buscar adesões para bancar as obras, seja por meio de adoção da iniciativa privada, seja por meio de financiamento coletivo. “Participamos da Chamada Cívica meio na última hora, e ficamos animados para continuar”, diz Mariana Barbosa, diretora da Sababv, lembrando que a equipe técnica do mandato se colocou à disposição para auxiliar no encaminhamento das demandas. O vereador Police esteve na praça em 1/09, quando a Sababv promoveu um café da manhã coletivo, apresentou a iniciativa e colheu a opinião de moradores do bairro, convidados a responder uma pequena pesquisa. A criação de um ParCão no local, área cercada para cães, foi o principal pedido dos entrevistados. “A mobilização da Sababv se tornou um grande exemplo de como a Chamada Cívica pode gerar resultados a partir das próprias comunidades”, diz Police. Muito pode ser feito, mesmo sem o dinheiro da emenda parlamentar. Seja com apoio técnico, seja na articulação com o poder público ou mesmo na próxima Chamada, continuamos à disposição para ajudar as comunidades a cuidar do espaço público.

Chamada Cívica apresenta resultados em números

Nem mesmo o frio intenso do último andar do edifício onde fica o Eureka Coworking, na Avenida Paulista, foi o bastante para conter o clima de festa e comemoração dos sete grupos vencedores da Chamada Cívica, que receberam das mãos do vereador Police Neto os documentos com os pedidos de liberação dos recursos para as reformas e revitalizações das praças de seus bairros.

Com a presença dos subprefeitos de Pinheiros, João Grande, e Vila Mariana, Fabrício Cobra, o evento apresentou aos participantes, pela primeira vez, os resultados em números das avaliações feitas pela banca julgadora dos projetos, formada pelo arquiteto Marcos Boldarini, pela engenheira civil Dalva Marques, e pelo idealizar da plataforma Praças Marcelo Rebelo.

Visivelmente emocionada, a operadora de loja e síndica voluntária do condomínio onde mora, Suzamara Camargo, tinha confiança desde o início de que seu projeto seria vencedor. “Até chorei quando soube que havia vencido. Nós já tínhamos tentado conversar com a subprefeitura e algumas pessoas, mas ninguém olhou pra nossa praça. Quando soubemos da Chamada Cívica pensamos que era a nossa grande oportunidade”, diz. A Praça da Vila, inscrita por Suzamara, receberá R$ 100 mil em emendas parlamentares para instalação de bancos, alambrados, mesa de ping-pong, nova pintura entre outras reformas e equipamentos.

Dona Shigeo Mizukoshi já cuidava há três anos da Praça Encantada, nome como apelidou o espaço originalmente chamado de Praça Manoel Filizola de Albuquerque, e a Chamada Cívica foi a oportunidade para ela concretizar os projetos que havia idealizado, mas que não tinha recursos para colocá-los em prática. E mesmo com a previsão das obras serem finalizadas só em dezembro, a aposentada já vislumbra novas ações. “Imagino colocar a carcaça de uma Kombi no espaço como uma biblioteca livre para estimular a leitura da comunidade”, afirma. O local receberá emenda no valor de R$ 60 mil para implementação de um cachorródromo, área para crianças com equipamentos, placas de sinalização, lixeiras, além de intervenções de paisagismo e jardinagem.

Vencedoras do projeto da Praça José Del Picchia Filho, a engenheira civil Carla Macedo e a publicitária Carla Chagas acreditam que a iniciativa de Police dá a população a oportunidade de se engajar pela cidade. “A gente sabe que a prefeitura não tem braços para saber tudo o que está faltando em uma cidade do tamanho de São Paulo, e o projeto convida a população para tomar essa iniciativa”, comenta a engenheira. “Que a Chamada seja multiplicadora e copiada”, acrescenta a publicitária. Serão destinados R$ 70 mil para a Praça José Del Picchia Filho e serão implementados, bancos, pisos, acessos, além de nova pintura.

Iniciativa pioneira

Primeiro projeto de que se tem notícia em nível nacional que democratiza o acesso a recursos públicos aos munícipes, para o subprefeito de Pinheiros, João Grande, o projeto é um divisor de águas na maneira de se fazer política. “A Chamada Cívica é um marco na administração pública e a gente espera que outros vereadores repliquem a iniciativa”, avalia. O subprefeito da Vila Marina, Fabrício Cobra, também compartilha da opinião do colega. “O modelo é muito importante porque atende os anseios da sociedade civil de participar das decisões do poder público”.